NGPS 2018 – Mondim de Basto

A primeira edição do Circuito NGPS de 2018 teve lugar em Mondim de Basto com organização da Mondim Bike BTT que muito bem soube receber os participantes.

À hora marcada… Perdão! Uma hora depois da hora marcada estávamos prontos para seguir até Mondim de Basto. Na pequena vila um mar de pessoas conhecidas! Mais gente da Bikemania, centenas de Famalicão, Guimarães, Braga… Todos com um objetivo comum: descobrir e desfrutar esta região.

 

Sobre Mondim de Basto

Mondim de Basto é um município transmontano. Aliás, o primeiro do Minho em direção a Trás-os-Montes. Tem uma baixa densidade populacional, mas uma grande área geográfica com montanhas, vales, bosques, rios e riachos, paisagens deslumbrantes e penhascos de cortar o fôlego. É uma zona imponente para a prática de vários desportos (como o BTT). E tem, inclusive, um Centro de BTT homologado. Com 150 quilómetros sinalizados distribuídos por 4 percursos com 4 níveis de dificuldade. Dispõe, ainda, de uma infraestrutura de apoio como balneários, bungalows, etc.

 

Pedalar por Mondim de Basto

Arrancamos de Mondim de Basto a uma altitude um pouco acima dos 200 metros e depois de um primeiro quilómetro a descer até cruzarmos o Rio Cabril iniciamos a primeira subida do dia, com o pano de fundo da Sr.ª da Graça, majestosamente centrada no Monte Farinha.

Por um estradão de corta-fogo seguimos até à primeira localidade, Paradança, onde alguns simpáticos populares nos cumprimentavam à nossa passagem. Descemos até às margens do Rio Ôlo e seguimos na sua proximidade por entre fantásticos bosques. Ao quilómetro 18 cruzamos uma ponte de madeira que atravessava o rio e onde vários betetistas tiravam fotos e aproveitavam para carregar o fôlego para a subida que se avizinhava.

Subimos até à freguesia de Ermelo onde no centro da aldeia fizemos a primeira paragem para café e reforço alimentar. Aqui uma vez mais as gentes de Mondim de Basto nos saudavam com alegria, mostrando o bem-receber patente nesta região.

A partir de Ermelo tivemos o primeiro prémio montanha do dia: 5 quilómetros com 300D+ por entre fragas até Fervença uma pequena aldeia desta região.

Continuamos por entre subidas de empedrado técnico até Varzigueto, uma pequena aldeia do Parque Natural do Alvão marcada pela presença de rebanhos e pastores, abraçada pelo Rio Ôlo e pelas Fisgas de Ermelo nas suas proximidades.

Passamos próximo das Fisgas de Ermelo e seguimos floresta a cima cruzando a Aldeia de Pioledo até Bobal, onde paramos na Tasquinha d’Alice à pinha de betetistas para comer e beber. Comemos e prometemos voltar para uns petiscos mais a sério!

Mas, agora é para descer… Passamos a Aldeia de Covelo que recordávamos do Mountain Quest de 2017 e a Aldeia de Travassos que integra a Rede Nacional das “Aldeias de Portugal” e que nos marcou pela dura subida em calçada até ao cemitério da aldeia (aqui ficamos com a sensação que os cemitérios nesta região estão colocados no ponto mais alto das aldeias, será?).

Daqui para a frente o percurso era rolante! Conhecíamos perfeitamente esta zona do MQ do ano passado e seguimos a uma boa velocidade mantendo como objetivo o Monte Farinha onde se encontra o Santuário de Nossa Senhora da Graça.

Atingimos o Monte Farinha e seguimos o track, evitando os 900 metros que nos separavam do topo. Descemos pela estrada de alcatrão, mas rapidamente o GPS levou-nos para a Pedra Alta e mostrou-nos uma forma dura e técnica de descer o monte.

 

Informações do Percurso

Distância: 66 quilómetros
Acumulado: 2065 D+
Altitude Min.: 170 metros
Altitude Máx.: 965 metros

Texto e fotografia por Edgar Costa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *