GPS EPIC 2016 Serra da Aboboreira (Etapa 0)

epicgps-2016-aboboreira-00

epicgps-2016-aboboreira-01

A manhã começou cedo. Demasiado cedo. Às 6h30 o último checklist em toda a tralha que qualquer betetista leva para rolar na montanha. 7h primeiro café e siga a viagem, que temos cerca de 80 quilómetros a separar Vila Nova de Famalicão e a localidade de Tabuado situada na parte norte do concelho de Marco de Canaveses.

Chegados ao recinto do Grupo Desportivo de Tabuado fomos alegremente recebidos pelos populares e organizadores presentes no local. Estavam uns graus centígrados negativos e a urgência em começar a pedalar era tanta que num ápice levantamos os dorsais, cumprimentamos colegas de outros grupos de Famalicão e seguimos o trilho.

Em menos de 4 quilómetros ouço um furo na roda da frente. Paramos. Os elementos mais avançados acabam por descer a encosta até um cruzamento. Um deles na sua paragem pousa o pé num mini-muro e escorrega água dentro de um fontanário. Todo encharcado torce a roupa e troca algumas peças no sentido de minimizar o frio.

Seguimos serra acima. O acumulado do percurso estava mais concentrado nos primeiros 20 quilómetros. Ao sexto quilómetro, no inicio da mais longa subida decidimos trocar a camara de ar, alguns minutos volvidos estávamos de volta ao terreno para tentar recuperar algum do tempo perdido e voltar a encontrar os nossos colegas que seguiam na frente.

epicgps-2016-aboboreira-03 epicgps-2016-aboboreira-02

No topo tínhamos à nossa espera o ‘reforço’. Nota em especial para o café feito a partir da água fervida num cântaro presente numa fogueira. Seguimos de seguida o nosso rumo sem pressas apesar do conta quilómetros marcar já 1h30 e pouco mais de 10 quilómetros realizados. A subida ao ponto mais alto da Aboboreira acabou por ser ainda mais difícil do que o esperado. O vento soprava forte e a temperatura apesar de estarmos já a meio da manhã estava abaixo de zero.

Aos dezasseis quilómetros passamos a Almofrela, uma aldeia na encosta da serra da Aboboreira pertencente ao concelho de Baião e seguimos entre um mosaico verde presente nos campos e prados desta região.

A segunda metade do percurso teve menos acumulado, contudo foi mais exigente na componente técnica, nas descidas entre rochedos escorregadios ou nas subidas íngremes abundantes em pedra.

epicgps-2016-aboboreira-04

epicgps-2016-aboboreira-05

A chegada fez-se junto à Igreja do Salvador do Tabuado contabilizando 40 quilómetros e 1600 D+.

Fotos Descola Associação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.